Património Arquitetura Religiosa

PORTIMÃO

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição – Portimão
igrejaPTM
Imóvel de Interesse Público - Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977

Dentre os edifícios religiosos, da cidade de Portimão, destaca-se a igreja matriz da Nossa Senhora da Conceição, construída no século XV (1476). Devido ao terramoto de 1755, a sua traça primitiva foi profundamente alterada mais não restando do edifício original que o seu portal gótico principal e as pias de água benta em grés de Silves, com decoração manuelina.

Latitude 37° 8’22.30”N | Longitude 8°32’9.98”W

Convento de S. Francisco
conventoSFrancisco
Imóvel de interesse Público - Decreto n.º 45/93, DR, I Série-B, n.º 280, de 30-11-1993

Junto ao rio, não muito distante da barra, ergueu-se desde o Séc. XVI, o Convento de S. Francisco, de dois pisos, no qual o núcleo mais antigo da construção é a igreja. Ainda são visíveis nas suas ruínas as estruturas do Convento, designadamente a capela-mor, o claustro delimitado por 14 arcos de volta inteira, salas capitulares e os dormitórios dos frades. O brasão de armas de Simão Correia, doador em 1530, aos Padres Observantes da Província de Portugal, do terreno e de casas onde se ergueria o Convento, encontra-se depositado no Museu de Portimão. No século XIX, após a extinção das Ordens Religiosas, foi adquirido por particulares, tendo o edifício sido utilizado para várias finalidades, desde depósito de cortiça, a local e armazém ligado à construção naval e às conservas da empresa Júdice Fialho, tendo sido consumido por um incêndio em abril de 1884. Em 1983 é reconhecida a sua importância enquanto Imóvel de Interesse Público, permanecendo na atualidade propriedade privada de herdeiros do industrial conserveiro Júdice Fialho, aguardando–se a sua recuperação e valorização.

Colégio dos Jesuítas
colegioJesuitas
Imóvel de Interesse Municipal - Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974

Em 1660, por iniciativa do fidalgo Diogo Gonçalves, deu-se início à construção do edifício do Colégio dos Jesuítas, na Praça da República, o qual só em 3 de março de 1707, seria inaugurado. Após a expulsão dos Jesuítas em 1757, os frades Camilos administraram o Colégio entre 1780 e 1834, data da extinção das ordens religiosas, passando depois a acolher vários serviços públicos, sendo que atualmente é sede da Junta de Freguesia de Portimão, do Museu de Pintura Diogo Gonçalves ou do Lar de Dia do Centro de Apoio a Idosos de Portimão. Apresenta uma composição unitária na sua fachada, de onde se destaca ao centro a Igreja de elevado pé-direito e aos lados, os corpos do antigo colégio mais baixos e com remates oblíquos.

Latitude 37° 8’21.78”N | Longitude 8°32’15.49”W

Ermida de Santa Catarina
ErmidaSCatarina
Localiza-se no interior da Fortaleza de Santa Catarina, sobre uma falésia da Praia da Rocha. O interior é composto por uma só nave com dimensões reduzidas e capela-mor dedicada à padroeira Santa Cata¬rina, decorada com azulejos azuis.

Latitude 37° 7’0.18”N | Longitude 8°31’46.50”W

Capela de S. José
capelaSJose
Imóvel de Interesse Municipal - D.L. 129/77, de 29 de setembro (ver Decreto)

Templo religioso do séc. XVII, com planta longitudinal de nave e capela-mor retangular, situada na rua de S.José.
Igreja Matriz de Alvor Imóvel de Interesse Público (pórtico principal e lateral) Decreto n.º 37 077, DG, I Série, n.º 228, de 29-09-1948 (ver Decreto)

Latitude 37° 8’26.33”N | Longitude 8°31’57.86”W

ALVOR

Igreja Matriz de Alvor
igrejaAlvor
Localiza-se na zona mais elevada da vila, encontrando-se a fachada principal voltada a Poente, para a Vila Velha, antigo núcleo urbano. A sua origem remonta ao início do reinado de D. Manuel, quando este, pretendendo honrar a memória de D. João II (falecido em Alvor), resolve elevar Alvor a vila, ordenando a construção de uma Igreja Matriz. A construção desta Igreja terá início em 1496, prolongando-se pelas duas primeiras décadas do século XVI. A Igreja Matriz de Alvor integra-se no estilo Manuelino, sendo considerada um dos melhores exemplos deste estilo no Algarve. A fachada principal da igreja é dominada por um importante pórtico de traça manuelina, de grande riqueza decorativa, caracterizado por motivos vegetalistas e antropomórficos, tais como folhagem, maçarocas, flores e troncos nodosos de árvores. figuras humanas e animais. O seu interior caracteriza-se pela presença de uma cabeceira tripla, ausência de transepto, cobertura de madeira, corpo com três naves, quatro tramos e arcarias de volta perfeita, assentes em colunas, onde sobressaem capitéis com seres monstruosos, rostos masculinos, cachos de uvas, folhagem diversa, entre outros, existindo ainda seis altares e diversas capelas, nas quais se veneram as imagens do Senhor Jesus de Alvor e da Nossa Senhora da Boa Viagem. Com o terramoto de 1755, a Igreja Matriz de Alvor sofre danos vários, nomeadamente no que respeita a Torre Sineira, posteriormente sujeita a trabalhos de remodelação. Esta Igreja, implantada numa terra de mareantes e pescadores, constitui um dos ícones da vila de Alvor, representando um templo de devoção e proteção das suas gentes, contra os desígnios do mar.

Latitude 37° 7’53.23”N | Longitude 8°35’41.17”W

Morabito anexo à sacristia da igreja matriz de Alvor
morabitoIgrejaAlvor
Imóvel de Interesse Público - Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978

Latitude 37° 7’53.23”N | Longitude 8°35’41.17”W

Morabito de S. Pedro
morabitoSPedro
Imóvel de Interesse Público - Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978

Junto ao cemitério da vila de Alvor existe uma pequena capela de planta quadrangular com cúpula, conhecida como Morabito de São Pedro e que resultou da reconversão ao culto católico de um pequeno templo islâmico

Latitude 37° 7’53.73”N | Longitude 8°35’29.29”W

Morabito de S. João
morabitoSJoao
Imóvel de Interesse Público - Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978

Latitude 37° 7’45.79”N | Longitude 8°35’44.42”W

MEXILHOEIRA GRANDE

Igreja da Misericórdia da Mexilhoeira Grande
IgrejaMexGrande
Este pequeno templo, foi construído nos finais do século XVI / início século XVII, desconhecendo-se a data de fundação da Misericórdia da Mexilhoeira Grande. As linhas arquitetónicas da Igreja e as do pequeno campanário apresentam uma grande sobriedade. Quanto ao património artístico a nota vai para 4 pinturas sobre carvalho que foram executadas no final do século XVI. Estas tábuas maneiristas suspensas nas paredes da Igreja apresentam cenas bíblicas. Destaque ainda, para os 4 estandartes em tela emoldurada que eram transportadas pelos Irmãos da Mesa durante a procissão de Corpo de Deus.

Latitude 37° 9’31.97”N | Longitude 8°36’51.79”W

Igreja Matriz da Mexilhoeira Grande
IgrejaMexGrande2
Sem proteção Legal

Igreja manuelina do início do século XVI com três naves e cabeceira tripla. Sofreu uma importante remodelação alguns anos mais tarde, tendo adoptado o formulário renascentista. Sobressaem o portal principal de estilo renascentista e o arco triunfal que antecede a capela-mor em estilo manuelino. Relativamente à ornamentação interior da igreja, destaca-se o excelente retábulo da capela-mor, do início do século XVIII, e o retábulo da Capela do Santíssimo Sacramento, de estilo barroco. Também de boa qualidade é o retábulo da Capela de Nossa Senhora da Graça, de estilo rococó. Por fim, salientam-se as imagens de Nossa Senhora da Graça e de São Luís, ambas da segunda metade do século XVIII. Aberta ao culto.

Latitude 37° 9’37.04”N | Longitude 8°36’50.78”W